O ABRAÇO DE BEZERRA DE MENEZES 

O ABRAÇO DE BEZERRA DE MENEZES

“Encerrada a sessão daquela terça-feira, no centro espírita da F.E.B., Bezerra de Menezes saiu, sendo na rua abordado por um homem, cabelos em desalinho, cansado e aflito, a dizer-lhe:

– Dr. Bezerra, estou sem emprego, com a mulher e dois filhos doentes e famintos. E eu mesmo, como vê, estou sem alimento e febril...

Bezerra, apiedado, verificou se tinha algum dinheiro para dar. Mas não encontrou nada, além da passagem do bonde. Levantou então os olhos em prece silenciosa, pedindo inspiração à Maria. Depois, virando-se para o irmão, disse comovido:

_ Meu filho, você tem fé em Nossa Senhora na Mãe do Divino Mestre Jesus?

_ Tenho, sim, e muita, Dr. Bezerra!

_ Pois então, meu filho, em nome da Virgem Santa, receba este abraço.

E abraçou o desesperado irmão, envolvente e demoradamente.

E, despedindo-se dele,  disse o Dr. Bezerra: _ Vá, meu filho, na Paz de Jesus e sob a proteção de Maria, Mãe de Deus. E, ao chegar em casa, faça o mesmo com seus familiares, abraçando-os e afagando-os com ternura. E confie n’Ela, sim, no Amor de Maria, que seu caso será resolvido.

Passaram-se alguns dias. Uma semana depois, naquele mesmo local, Bezerra foi novamente abordado por aquele infeliz. Agora, porém, de fisionomia alegre, que lhe disse comovido: “_ Venho agradecer-lhe, Dr. Bezerra, aquele abraço milagroso que o senhor me deu. Em casa, cumpri o seu pedido: abracei minha mulher e meus filhos. Oramos todos à Nossa Senhora, a Mãe do Céu, e, no dia seguinte, estávamos todos sem febre. A água que bebemos parecia conter alimento, pois dormimos todos muito bem. E por inspiração da Virgem Santa, guiei-me a uma porta que estava aberta e entrei. Tenho hoje o meu emprego e estou trabalhando. Agradeço-lhe, Dr. Bezerra, a grande dádiva que recebi do senhor, naquele abraço fraterno que me deu...”

Fonte: Extraído da obra “Lindos Casos de Bezerra de Menezes”, de Ramiro Gama, Ed. Lake

por Antonio O.Cioldin